História da Torre

História da Torre

(…) Esta região é muito antiga, conforme provam as transcrições abaixo citadas, retiradas do dicionário que se encontra na Biblioteca Publica do Arquivo Distrital de Leiria.

"Reguengo é uma povoação antiquíssima e segundo se colige de uma inscrição que está na Capela da Torre desta freguesia, já era povoada no tempo dos Romanos. Eis a inscrição:







.................. ANN.........................

LABERIA L.................................

FILIA PIENTI.............................

.......................annorum......................Laberia, dusii

FILIA, ma (TER) pienti (SSIMEE)
(a sua piedosa filha, .... que morreu de paixão..... de...... anos ..... mandou fazer este monumento, laberica, filha de Lucia)

Vê-se que esta inscrição está mutilada e tem letras apagadas. Pela parte de cima devem faltar duas linhas; a primeira que costuma ser a dedicação aos Deuses Manes (D.M.) e a segunda que devia conter o nome da falecida. Falta-lhe também a ultima linha usual nos monumentos funerais dos Romanos que era "S.T.T.L:" (sit tibi terra livis - a terra que seja leve).

Esta Liberia, filha de Lucio, era uma nobre Romana, flaminha de Èvora e da Província Lusitânia.,

Parece que esta sacerdotisa foi célebre no seu tempo, porque Diogo Mendes de Vasconcelos, diz na antiga igreja de santo Estevão de Leiria, estava embebida na parede do frontispício esta inscrição:

LABERIAE L.F. GALLAE

FLAMINICAL EBORENSE

FLAMINICAL PROV. LVST

TANIAE INIPANSAM FVNE

RIS, LOCVM SEPVLTVRAE

ETSTATVAN D. D. COLL-

PPONECIUN DATANT L.

SVLPICIVSBCLAVDIANVS

(Lucio Sulpicio Claudiano, fez á sua custa esta estátua que lhe foi concedida por decreto dos decorões de Collipo a laberia Galla, filha de Lucio, flaminha de Èvora e da Província da Lusitânia)

Os sacerdotes dos antigos romanos, chamavam-se Flaminices. Tinham obrigações de sustentar o fogo sagrado, sem interrupção e daqui lhes provém o nome.

Acerca da designação do lugar da Torre da Magueixa existem algumas opiniões diferentes em relação ao topónimo Magueixa. Diz-se que o lugar da Torre da Magueixa se dava antigamente o nome de Torre da Magagia que, no português antigo, significava Torre da Magia ou da Feitiçaria por ter pertencido a um mágico ou feiticeiro.

Excerto de jornal do Reguengo do Fétal datado de 1 de novembro de 1969:

"... a Ermida da Magueixa era da invocação de Santa Maria e não de Santa Iria (Sancte Marie de Magueiga). Houve aqui, segundo cremos uma mudança de padroeira: Santa Maria cedeu lugar a Santa Iria em data posterior ao primeiro quartel do século XIII.

Quanto ao vocabulário Maguieja ou Magueixa, diremos que não é exclusivo da região de Leiria, pois também existe no aro de Lamego uma Magueija, já mencionada num documento de venda de 1163.

Num documento de 1277, inserto no livro de D. João de Portel (p. 133), alude a uma herdade na Magueija, junto do Reguengo, o que parece significar que esta Magueija do termo de Leiria nada tem que ver com a Magajia de Santa Catarina da Serra, ao contrário do que se lê na nota manuscrita do exemplar de "O Cruzeiro" existente na Biblioteca de Leiria.

Assim, foi esta Magueija que impôs sucessivamente o seu nome á Torre e ao Reguengo, identificando-os perante outras Torres e outros Reguengos, até que a invocação de Nossa Senhora do Fètal logrou, por sua vez, impor o seu nome ao reguengo, tornando-o Reguengo do Fètal.

Porque a designação Magueija, ou Magueixa é antiquíssima e a Torre aparece nomeada Torre de Magueija no Cadastro da população do Reino, ordenado por D. João III em 1527, somos de opinião que se deve manter, para a Torre, o nome Torre da Magueija ou Magueixa..." (…)

Consultar o Blogue: Torre da Magueixa